Domingo, 7 de Agosto de 2011

NETOS

Netos são como heranças.
Você os ganha sem merecer.  
Sem ter feito nada para isso.
De repente, lhe caem do céu... 

O neto é, realmente,
o sangue do seu sangue,
filho do filho,
mais filho do que filho, mesmo...

“Os netos são filhos com açúcar”
Cinquenta anos, cinquenta e cinco... 
Você sente, obscuramente,
que o tempo passou
mais depressa do que esperava. 

Não lhe incomoda envelhecer, é claro. 
A velhice tem suas alegrias,
as suas compensações.
Todos dizem isso,
embora você, pessoalmente,
ainda não as tenha descoberto,
mas acredita.

Todavia, também obscuramente,
sente que, às vezes, lhe dá aquela nostalgia da mocidade.  
Do tumulto da presença infantil ao seu redor.  

Meu Deus, para onde foram as suas crianças?
Naqueles adultos cheios de problemas
que hoje são os filhos, que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento e prestações,
você não encontra de modo algum
as suas crianças perdidas.

Sem dores, sem choros.
Aquela criancinha da qual você morria
de saudades, chega.
Símbolo ou penhor da mocidade perdida.
Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um Filho seu que lhe é devolvido.
E o espantoso é que todos lhe reconhecem
o seu direito de o amar com extravagância.

Ao contrário, causaria espanto, decepção,
se você não o acolhesse imediatamente
com todo aquele amor recalcado que há anos se acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho certeza de que a vida nos dá netos para nos compensar de todas as perdas trazidas pela velhice.
São amores novos, profundos e felizes,
que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis.

É quando vai embalar o menino e ele,
tonto de sono, abre o olho e diz: "Vó ",
que seu coração estala de felicidade,
como pão no forno!

 

publicado por saozinhasimoes às 18:54
link do post | comentar | favorito
Domingo, 12 de Junho de 2011

LENDA CHINESA

 


Era uma vez, uma jovem chamada Lin, que se casou e foi viver com o marido na casa da sogra. Depois de algum tempo, começou a ver que não se adaptava à sogra.

Os temperamentos eram muito diferentes e Lin cada vez se irritava mais com os hábitos e costumes da sogra, que criticava cada vez com mais insistência.

Com o passar dos meses, as coisas foram piorando, a ponto de a vida se tornar insuportável. No entanto, segundo as tradições antigas da China, a nora tem que estar sempre ao serviço da sogra e obedecer-lhe em tudo.

Mas Lin, não suportando por mais tempo a idéia de viver com a sogra, tomou a decisão de ir consultar um Mestre, velho amigo do seu pai.

Depois de ouvir a jovem, o Mestre Huang pegou num ramalhete de ervas medicinais e disse-lhe: "Para te livrares da tua sogra, não as deves usar de uma só vez, pois isso poderia causar suspeitas.

Vais misturá-las com a comida, pouco a pouco, dia após dia, e assim ela vai-se envenenando lentamente. Mas, para teres a certeza de que, quando ela morrer, ninguém suspeitará de ti, deverás ter muito cuidado em tratá-la sempre com muita amizade. Não discutas e ajuda-a a resolver os seus problemas."

Lin respondeu: "Obrigado, Mestre Huang, farei tudo o que me recomenda".
Lin ficou muito contente e voltou entusiasmada com o projecto de assassinar a sogra.

Durante várias semanas, Lin serviu, dia sim dia não, uma refeição preparada especialmente para a sogra. E tinha sempre presente a recomendação de Mestre Huang para evitar suspeitas: controlava o temperamento, obedecia à sogra em tudo e tratava-a como se fosse a sua própria mãe.

Passados seis meses, toda a família estava mudada. Lin controlava bem o seu temperamento e quase nunca se aborrecia. Durante estes meses, não teve uma única discussão com a sogra, que também se mostrava muito mais amável e mais fácil de tratar com ela.

As atitudes da sogra também mudaram e ambas passaram a tratar-se como mãe e filha. Certo dia, Lin foi procurar o Mestre Huang, para lhe pedir ajuda e disse-lhe: "Mestre, por favor, ajude-me a evitar que o veneno venha a matar a minha sogra.

É que ela transformou-se numa mulher agradável e gosto dela como se fosse a minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que lhe dou." Mestre Huang sorriu e abanou a cabeça: "Lin, não te preocupes. A tua sogra não mudou.

Quem mudou foste tu. As ervas, que te dei, são vitaminas para melhorar a saúde. O veneno estava nas suas atitudes, mas foi sendo substituído pelo amor e carinho que lhe começaste a dedicar. "

 

Na China, há um provérbio que diz: "A pessoa que ama os outros também será amada".

 

Os árabes têm outro que diz: "O nosso inimigo não é aquele que nos odeia, mas aquele que nós odiamos.”·

 

publicado por saozinhasimoes às 13:32
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

O BOSQUE

Tempos atrás, eu era vizinho de um médico, cujo "hobby" era plantar árvores no enorme quintal da sua casa. Às vezes, observava da minha janela o seu esforço para plantar árvores e mais árvores, todos os dias. O que mais chamava a atenção, entretanto, era o facto de que ele jamais regava as plantas que plantava. Passei a notar, depois de algum tempo, que as suas árvores estavam demorando muito para crescer. Certo dia, resolvi então aproximar-me do médico e perguntei se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem, pois percebia que ele nunca as regava. Foi quando, com um ar orgulhoso, ele me descreveu a sua fantástica teoria.
Disse-me que, se regasse as plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima. Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas as raízes tenderiam a alastrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes encontradas nas camadas mais inferiores do solo.

Essa foi a única conversa que tive com aquele meu vizinho.
Logo depois, fui morar em outro país, e nunca mais o encontrei.
Vários anos depois, ao voltar do exterior fui dar uma olhada na minha antiga residência. Ao aproximar-me, notei um bosque que não havia antes. Meu antigo vizinho havia realizado o seu sonho!
O curioso é que aquele era um dia de um vento muito forte e gelado, em que as árvores da rua estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno.
Entretanto, ao aproximar-me do quintal do médico, notei como estavam sólidas as suas árvores, praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda. Efeito curioso, pensei eu...As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo que o conforto do tratamento mais fácil jamais conseguiria.

Todas as noites, antes de ir me deitar, dou sempre uma olhada nos meus filhos. Debruço-me sobre as suas camas e observo como têm crescido. Frequentemente, rezo por eles. Na maioria das vezes, peço para que as suas vidas sejam fáceis:

"Meu Deus, livre meus os filhos de todas as
dificuldades e agressões deste mundo"...
Tenho pensado, entretanto, que talvez
seja hora de alterar as minhas orações.

Essa mudança tem a ver com o facto de que é inevitável que os ventos gelados e fortes nos atinjam e aos nossos filhos.
Sei que eles encontrarão inúmeros problemas neste mundo tão conturbado.
Sempre haverá uma tempestade, ocorrendo em algum lugar.
Portanto, pretendo mudar as minhas orações.
Farei isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida não é muito fácil. Ao contrário do que tenho feito, passarei a orar para que meus filhos cresçam com raízes profundas, de tal forma que possam retirar energia das melhores fontes, das mais divinas,
que se encontram nos locais mais remotos.
Oramos demais para termos facilidades, mas na verdade o que precisamos fazer é pedir para desenvolver raízes fortes e profundas, de tal modo que quando as tempestades chegarem
e os ventos gelados soprarem, resistiremos bravamente,
ao invés de sermos subjugados e varridos para longe.

 

publicado por saozinhasimoes às 13:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 30 de Maio de 2009

ACTO DE AMOR

 

Esta é a história de uma mãe que voltou para casa após um árduo dia de trabalho. A sua filha apareceu na porta de casa e correu para abraçá-la.

- Mamãe, mamãe, hoje aconteceram muitas coisas e quero contar-te tudo o que aconteceu.

Depois de ouvir algumas frases, a mãe fez um gesto indicando que ouviria o restante da história mais tarde, porque precisava preparar o jantar. Durante a refeição, o telefone tocou, e a mãe teve de ouvir outras histórias da família, mais longas e contadas em voz mais alta que a da menina. Depois que a cozinha foi arrumada e as dúvidas sobre os deveres de casa de seu irmão foram solucionadas, a menina tentou novamente contar as novidade à mãe, mas já havia chegado a hora de ir para a cama.

A mãe dirigiu-se ao quarto da filha para ajeitar as cobertas e ouviu-a rezando. Quando ela se curvou para afagar os seus cabelos encaracolados e beijar-lhe o rosto, a menina olhou-a e perguntou:

- Mamãe, amas-me mesmo quando não tens tempo para me ouvir?

 

publicado por saozinhasimoes às 02:06
link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Maio de 2009

A VIDA QUE LEVAMOS

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê já é sexta-feira!
Quando se vê, já é Natal...
Quando se vê o ano terminou...
Quando se vê, passaram 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria deitar fora pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor, que está à minha frente

e diria que eu o amo...

Desta forma, eu digo: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá, será a desse tempo que infelizmente nunca mais voltará

 

publicado por saozinhasimoes às 15:41
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Maio de 2009

AOS CASAIS

 

 Casais que não aprendem a namorar logo caem na frieza e na rotina. Cansam-se facilmente um do outro e tornam-se intolerantes.
 
Se não sabem o significado da palavra perdão perdem a capacidade da ternura.
 
Tornam-se mendigos do amor e morrem de necessidade de afecto.
 
São como lagos parados que não oferecem nada de si, embora necessitem de ajuda. Morrem pensando que vivem.
 
E, como são lagos que não se comunicam, caem na tentação de desaguar noutro lago.
 
É assim que se traem.
 
Fazem da mútua infidelidade um jejum de vingar as ofensas e o abandono afectivo de um para com o outro.
 
Bom seria se pudessem se redescobrir na ternura do face a face, até que reencontrassem um no outro, aquele rosto querido, aquele coração amoroso e acolhedor e aquela pessoa maravilhosa pela qual um dia se apaixonaram.
 
Que Nosso Senhor abençoe as famílias e o Sacramento do Matrimónio.
 

                                                                         Padre Rinaldo

 

publicado por saozinhasimoes às 16:34
link do post | comentar | favorito
Domingo, 26 de Abril de 2009

TER MAIS CONFIANÇA NAS NOSSAS CRIANÇAS

Certa lenda conta que estavam duas crianças patinando em cima de um lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam sem preocupação. De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu na água. A outra criança vendo que seu amiguinho se afogava debaixo do gelo, pegou uma pedra e começou a golpear com todas as suas forças, conseguindo quebrá-lo e salvar seu amigo.

Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como conseguiste fazer isso? É impossível que tenhas quebrado o gelo com essa pedra com as tuas mãos tão pequenas!

Nesse instante apareceu um ancião e disse:
- Eu sei como ele conseguiu! Não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que ele não seria capaz.

 

publicado por saozinhasimoes às 15:56
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Março de 2009

CARTA DE UM FILHO

 

 Pai, eu sei que gostarias que houvesse um jeito de fazer-me enxergar a vida através dos teus olhos bem mais experientes, poupando-me de tropeçar pelo caminho.
Eu sei que gostarias de ter as costas mais largas para carregar também os meus fardos, para aliviar-me dos pesos.

Pai, eu sei que às vezes o mundo é cruel e que viver nele pode ser uma árdua tarefa, mas sei também que gostarias de construir um mundo onde só houvesse o melhor para mim e onde o tempo não fosse tão curto para aprendermos a Vida,
onde não houvesse pessoas capazes de ferir-me,
onde eu pudesse apenas brincar de viver.
Eu sei que gostarias de dar-me esse presente.

Pai, eu sei da tristeza que sentes por não poder impedir que eu sofra, que eu fique doente, que abusem de mim, que os perigos me rondem e que a fé se desfaça em meu coração.

Sei das cicatrizes que carregas, provocadas por ferimentos
que já me atingiram no passado.
Sei das tuas angústias e sobressaltos quando algo ameaça o meu tempo presente.
Sei das tuas vontades e ansiedades voltadas para o meu futuro.

Ah, Pai, que maravilhoso futuro gostarias que eu vivesse!
Eu sei disso, Pai.

E por saber tanto, eu lhe peço, ouça-me:
Se dores sofri, maiores elas teriam sido sem a tua presença.
Se em pedras muitas vezes eu tropeço e caio, lembro-me que
 que foste tu quem me  ensinou a levantar.
Se olho para o futuro e sinto medo, ele se vai assim que eu recorro à fé que plantaste em mim.

Agradeço a Deus por te ter escolhido para orientar os meus passos.

Foi contigo que aprendi que quando a jornada se torna difícil
Deus nos toma nos braços.
Obrigado, Pai!


Silvia Schmidt
Do livro Nossas Raízes

 

publicado por saozinhasimoes às 01:57
link do post | comentar | favorito

.posts recentes

. NETOS

. LENDA CHINESA

. O BOSQUE

. ACTO DE AMOR

. A VIDA QUE LEVAMOS

. AOS CASAIS

. TER MAIS CONFIANÇA NAS NO...

. CARTA DE UM FILHO

.arquivos

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.links

.Fevereiro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29